MAR DE AMIGOS – TÁBUA DE MARÉS: O QUE É E COMO LER? – 19/10/23

JOÃO PAULO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Sejam bem vindos a mais um mar de amigos. Hoje falaremos de um tema que nós já gravamos aqui no passado. Falamos um pouquinho de forma genérica do que seria, mas esse problema é recorrente. O pessoal chega na Marina, vão descer os barcos e aí olha para o mar e não tem água.

JOÃO ROBERTO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Esse é o problema. É aquela frase que sempre a gente escuta que é assim o mar não está pra peixe, ou seja, a maré não está para peixe. Por que será? Porque o pescador sempre está atento à maré. Agora o navegador é artista. Ele está um pouco desinformado e a gente precisa passar um pouco de informação para que eles não estrague o seu planejamento de viagem.

JOÃO PAULO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Com certeza. Então, pessoal, fiquem conosco até o final desse vídeo. Nós daremos a instrução para vocês de onde achar os dados de maré, como fazer a leitura desses dados e até mesmo de falar a respeito da condição de mar. Parece parecida. Dá para prever como estará o mar em cima das marés, né? Então, para esse pessoal, não se esqueçam de curtir nosso conteúdo, se inscrever em nosso canal.

JOÃO PAULO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
E vamos começar!

Como é que a gente faz? Por exemplo, se chegou no final de semana, vou usar meu barco como eu. A maré sai com dois, três dias de antecedência. Em quanto tempo você consegue prever a maré? Nossa, aqui, brasileira aqui.

JOÃO ROBERTO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
E aí já começa a parte de formação que existe, como sempre, a gente sempre repete, repete again. A Diretoria de Hidrografia e Navegação. Vamos deixar até aqui o endereço aqui para que seja de fácil acesso o plano, seus tablet, celulares ou computador, o que é normal no nosso dia a dia de navegadores aqui de lazer e a maré anual, né?

JOÃO ROBERTO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Então, do dia primeiro de janeiro até o dia trinta e um de dezembro, você tem a disponibilidade na tábua das marés do Brasil todo. Isso tanto eletronicamente como também na parte de papel, parte impressa, que isso é vendido pela própria DHL. Caso você queira ter isso para consultar em qualquer momento aqui, é só pegar no Google Tábua das marés.

JOÃO ROBERTO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Aqui já entra que a Marinha do Brasil que tá esse endereço aqui. Centro de Hidrografia da Marinha. Aí já entra aqui a tábua da tábua de marés ao rolar a tela aqui eu venho às regiões de portos que eu quero consultar. Então vou rolando a tela, porque eu vou, vou trabalhar aqui com Santos, Porto de Santos, aqui do ladinho.

JOÃO ROBERTO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Aqui é a tábua das marés. Eu tenho. Clico aqui e já abriu a tela. Porto de Santos Capitania dos Portos, São Paulo, dois mil e vinte e três é o ano Latitude e longitude o fuso horário. Isso é um detalhe muito importante que tem que olhar com relação ao horário. O horário oficial não é horário de verão. E aí?

JOÃO ROBERTO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Aqui você vai ter do ano todo.

JOÃO PAULO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Bom, então não dá para ser pego de surpresa. Agora vamos lá. A pessoa vai descer o barco dela. Aí ela chega na marina, olha na frente da rampa e não tem água. Aí ela chega e fala assim Pô, essa Marina não presta, é o dono dessa Marina. Eu já falei para ele que ele tinha que estender essa rampa, tinha que fazer uma dragagem.

JOÃO PAULO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Quanto que a maré sobe e o quanto que a maré desce, Qual é? Qual é o tamanho dessa amplitude? Até pra gente entender isso e até depois você poder alongar um pouquinho. E aí a culpa é de quem? Igual. Aí tem as bacias tal, os barcos. Bom, vamos lá, responde a primeira porque começa aqui a viajar.

JOÃO ROBERTO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
A previsão da Maré. Ela tem que ser interpretada exatamente para a data que você disponibiliza, que você tem a intenção de lançar teu barco na água ou até pretende fazer determinados tipos de navegações mais longas. Então, para isso você vai escolher uma tábua das marés. Estou mostrando aqui que nós temos as marés, que elas estão aqui bem exemplificadas.

JOÃO ROBERTO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Tá com seus números? Então eu tenho duas colunas por mês, ou seja, tem uma coluna que é de um a trinta de um a quinze e depois de dezesseis até o final do mês. Nessas colunas você vai inclusive observar que tem as imagens, linhas da lua, as fases da lua. Então, quando eu tenho uma lua todinha escura, quer dizer, se ela é escura porque eu não estou, não vou enxergá la.

JOÃO ROBERTO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Mesmo que eu esteja com uma noite que não esteja nublada, eu não vou enxergá la. Por quê? Porque é uma lua nova. Não dá para ver a lua nova, tá? Aí eu tenho a lua clarinha, branquinha, a lua clarinha, a lua cheia. Então, lua nova e a lua cheia. Está lua completa é o círculo completo negro e a lua cheia é a lua, o círculo completo branco.

JOÃO ROBERTO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Aí eu tenho uma semi lua, que é o sentido do ser, que é a lua crescente, ou seja, quarto crescente. E vou ter o lado contrário, o ser ao contrário, que é quarto minguante. Então nós temos as marés de lua cheia, lua nova, quarto crescente e quarto minguante, A lua cheia e nova são as maiores marés. São aquelas marés que você vai ter, aquela decepção que você está falando.

JOÃO ROBERTO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
E você tem as marés de quarto crescente, quarto minguante que nós chamamos de maré de quadratura e maré de quarto crescente ou quarto minguante. São marés que não tem tantas amplitudes, são amplitudes menores, mas tem marés que nós podemos ter, mas condição de maré de quadratura seis até oito marés num ciclo de vinte e quatro horas.

JOÃO PAULO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Mas vamos lá. E quais são as maiores e as menores amplitudes?

JOÃO ROBERTO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Nós temos amplitudes registradas, por exemplo, na região lá da França, que chega a catorze metros de amplitude.

JOÃO PAULO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Catorze metros, catorze metros. Quando você fala nessa amplitude, é a diferença entre a maré baixa e a maré alta.

JOÃO ROBERTO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Isso exatamente aqui onde nós estamos aqui hoje, estamos a região aqui que vamos utilizar a maré no porto de Santos. Nós temos amplitudes aqui média em torno do máximo de um metro sessenta, metro e setenta amplitudes máximas. Enquanto isso, aqui no Maranhão você chega a oito metros.

JOÃO PAULO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Nossa!

JOÃO ROBERTO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Então nós estamos dentro do nosso próprio país, tá? Nós temos marés com essa diferença de amplitude.

JOÃO PAULO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
O pessoal tá reclamando aqui, então o barco não consegue dizer aqui, imagina lá.

JOÃO ROBERTO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Lá, lá vai eu e outra você tomar cuidado, o barco sai sozinho da marinha, aqui ele sai sozinho, vai navegar só depois ele volta, depois ele volta também. Depois de seis horas fica esperando que talvez ela mesma Marina mais em outro local ela vai chegar. Então essa movimentação das águas, ela ela é algo que às vezes a pessoa vou, mas fiquei surpreendido com a maré, não ficou surpreendido?

JOÃO ROBERTO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Isso já está descrito pela própria natureza.

JOÃO PAULO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Você já explicou a questão das amplitudes aqui nós temos a amplitude até uns sessenta ou setenta, mais ou menos. Quando acontece o barco tem a marina, tem uma bacia ou o marinheiro vai descer o barco ou o proprietário vai descer o barco e ele chega lá e não consegue descer. A culpa é de quem é da marina. O barco tá na bacia, baixou ali um eixo, entortou o eixo e tem.

JOÃO PAULO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
PS Dá algum problema nisso? A culpa é da Marina, a culpa é do comandante a bordo. A culpa é do proprietário. De quem Que é a culpa nesses casos?

JOÃO ROBERTO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
A culpa é do navegador, É o navegador. Ele é aquele que exatamente tem que cuidar da logística, da logística, de tudo, ou seja, o planejamento, né? Então, quando eu tenho um lançamento de uma embarcação na água, eu tenho que, antes de mais nada, ver quais são as características daquela marina, a estrutura que a Marina tem aqui, no caso, eu tenho uma praia que no caso, a maioria das marinhas que tem aqui não tem uma rampa de descida.

JOÃO ROBERTO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
O barco é lançado na areia Sim, tá. E essa areia, de repente ela está recuada, está cinquenta, cem metros, praticamente dentro do mar. Então como vou lançar esse barco? Então? O navegador Quem é o responsável pelo planejamento do horário de que ele tem que pedir para descer a sua embarcação?

JOÃO PAULO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Mas a Marina tem uma bacia. Essa bacia não deveria ter água aí o barco está ali, eu tenho uma vaga molhada e aí, de repente o meu barco está atolado. A culpa não é da Marina.

JOÃO ROBERTO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Eu não considero culpa da Marina, tá? Porque aqui não dá para avistar os navios ali fundeados. Esses navios você não tem registro que os navios estão encalhados porque eles estão encalhados, porque eles estão aguardando o momento de chegar num determinado porto para carregar o descarregar. Todo o porto tem alguma restrição? Ele tem uma lâmina d’água, que é o que aquela embarcação possa entrar e sair com segurança, inclusive, etc.

JOÃO ROBERTO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Com relação a Seguro, se o barco encalhou, encalhou, você teve um dano, né? Geralmente nós estamos falando fazendo matéria sobre seguro. Pô, mas encalhou porque há? Porque o condutor do barco não previu o Maré, migo, coitado, segura não tem nada a ver com isso. Sim, tá. Então, quando você vê que tem alguém na superfície, você, você tem, você tem alguém sob a água.

JOÃO ROBERTO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Não é milagre, é porque é raso, Está raso, não é para se navegar no raso.

JOÃO PAULO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Mas então, assim, em resumo, o que você está querendo dizer? Que tem um barco numa bacia, numa vaga molhada e eu tenho a previsão de marés do ano inteiro, Então eu consigo prever essa maré, essa maré baixa. Você já falou que tem alguns períodos do ano que é essa maré. Ela vai ter maior incidência. Então cabe ao navegador, ao comandante daquela embarcação de fazer o seu planejamento e retirá la daquele ponto.

JOÃO PAULO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Sem dúvida é isso, é isso.

JOÃO ROBERTO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Nós estamos no mês de outubro da Porto de Santos, Capitania dos Portos de São Paulo. Tem aqui latitude e longitude e latitude. Longitude nós temos aqui mês de Outubro, foi o que eu mencionei. Temos a coluna da esquerda que vai até o dia dezesseis, o dia que nós estamos aqui. Então, neste dia que nós estamos gravando o que o que está ocorrendo às três horas e dois minutos, nós tivemos uma preia mar, uma maré cheia de um metro e sessenta da.

JOÃO ROBERTO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Depois, às nove horas e trinta e nove minutos, nós tivemos vinte centímetros de maré, portanto, entre um e sessenta até vinte centímetros. Nós tivemos uma amplitude no sentido de refluxo quarenta de um e quarenta. Agora, a partir das nove trinta e nove, ela está indo no sentido de preamar. Está tendo um fluxo de água, vai até às quinze e trinta e oito, vai para um metro e vinte.

JOÃO ROBERTO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Então eu tenho um metro de amplitude. Nesse período que nós estamos fazendo essa gravação. E às vinte e um e quarenta e cinco eu terei dez centímetros, portanto eu terei uma baixa mar. Nesse período está com uma amplitude de refluxo de um metro e dez. Então quer dizer, se você tem mais, se você é mais alto que eu, você tem um metro, oitenta e sete, setenta.

JOÃO ROBERTO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Se você colocar um amplitude de um metro, um metro e dez. Gente sim, e é o calado de uma embarcação. Sim. Então o que o navegador tem que fazer? Tem que escolher o horário aqui para que ele peça para lançar o barco dele. Se o barco dele tivesse o maior calado, ele teria que pedir para lançar o barco dele de madrugada, sem estar lembrando que esse horário que está aqui.

JOÃO PAULO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Ou senão aqui às três e três e quarenta tratar.

JOÃO ROBERTO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Isso. Quinze. Trinta e oito.

JOÃO PAULO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
O que você grifou Essas outras datas aqui.

JOÃO ROBERTO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Eu grifei essas outras datas, que foi exatamente o período de se exige a maré de se exige. É aquela maré que, pelo alinhamento do véu da lua em relação ao Sol, é o nosso planeta. Nós temos o que é a fase da Lua? É a Lua nova, é a Lua Cheia. Está nesses dois momentos em que a Lua está exercendo uma maior significação para o nosso plano, nossa parte líquida.

JOÃO ROBERTO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
O que acontece? Nós temos as maiores amplitudes. Então esses momentos das amplitudes maiores de se exija no período que nós temos exatamente dos equinócios, que são as interpretações maiores que nós vamos estar encontrando, ou menor que vocês vão estar encontrando. Então se exige que ocorre no outono e na primavera. Então eu para pegar datas semelhantes. Então eu peguei aqui a maré decisiva no período do equinócio do outono, que é março.

JOÃO ROBERTO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Tá, eu tenho aqui o outono. Foi no dia vinte de março de dois mil e vinte e três. A passagem do equinócio está no outono, então aqui eu peguei do dia dezenove até o dia vinte e três de domingo a uma quinta feira, primeiramente aqui no Porto de Santos, dia dezanove, um metro e quarenta. Depois eu tive aqui zero ponto quatro, depois eu tive um ponto três, depois tive zero menos zero ponto um.

JOÃO PAULO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Isso é muito legal. Nós começa a ver as marés negativas e aí você já mostra que no dia vinte a gente teve a maré máxima, que é de um ponto quatro e teve menos vinte.

JOÃO ROBERTO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Menos vinte. Então uma amplitude de maré de um metro e sessenta metros, sessenta. Então, naquele dia que você chegou, cadê a água? Chama o dono da Marina. Processo O dono da Marina, Quem roubou a água? Por que que não tem água? Porque aqui ficou.

JOÃO PAULO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS

Negativo.

JOÃO ROBERTO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Menos vinte centímetros. Então quer dizer que nesse dia aqui essa faixa de areia.

JOÃO PAULO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Ficou bem extensa, ficou.

JOÃO ROBERTO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Muito extensa. Então, por exemplo, vamos aqui no mesmo período. Itaqui, lá no Maranhão está no mesmo período do dia dezanove de março até o dia vinte e três de março. Então no próprio dia dezanove é bem notório. Aqui eu tive uma preamar às cinco horas e trinta e quatro minutos de cinco metros e noventa e depois eu tive noventa centímetros.

JOÃO ROBERTO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Depois eu tive as dezessete, cinquenta e quatro, seis metros e vinte.

JOÃO PAULO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Nossa, que foi em menos vinte e mais seis em noventa. Ou seja, deu uma amplitude aí de sete.

JOÃO ROBERTO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Dez, sete metros e dez, sete metros e dez num volume de água do oceano e muita água.

JOÃO PAULO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Voltando. Aí eu acho que é o grande ponto que eu acho que vai ser bem legal para os navegadores. E quando eu vejo que a gente vai fazer alguma viagem de percurso, viagem, esses translados, alguma coisa assim, eu vejo que você sempre foca bastante na questão da maré, como que através da maré eu consigo saber como estará o mar, como é que eu consigo estabelecer uma previsão de maré junto a maré.

JOÃO ROBERTO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
É o maior perigo que eu considero. É exatamente nas proximidades do continente, nas proximidades de terra proximidades de rochas e de ilhas. Quando você se afasta, você está tendo maiores profundidades. Quando você tem maiores profundidades, geralmente as vagas das ondas, elas são mais espaçadas. Então, onde é que é o maior perigo? É exatamente na entrada e saída de barra.

JOÃO ROBERTO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Então, na entrada e saída de barra, que é quando a gente tem o maior incômodo, eu vou sair em viagem. Eu estou mais para o tour, sai de uma marina, então aquele porto eu vou sair aqui, por exemplo, aqui da região do porto de Santos. Então eu tenho ali uma profundidade que saio de doze metros e aí vou eu vou, vou para quinze, vinte, trinta metros.

JOÃO ROBERTO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Aí, geralmente ao longo da nossa costa, aqui de Florianópolis até Rio de Janeiro. A média de profundidade, aliás, ou batimetria, é em média, em torno de vinte metros. Então tem alguns pontos que vai um pouco mais além. Ou não, você não tem que afastar bem mais para poder pegar grandes profundidades. Então, se você imagina o seguinte aquele volume de água de um metro sessenta que ele vai demorar seis horas para baixar, ou seja, e vai chegar praticamente quase zero, tá.

JOÃO ROBERTO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Essa amplitude, ela tendo um refluxo, você está indo em direção ao mar, cada. E eu tenho uma questão climática que eu seja o vento, o vento, a questão da própria correnteza, que isso já é algo natural, que vem pela temperatura da água. Isso daqui o que acontece vem soprando um sentido contrário. Então eu tenho a água num refluxo.

JOÃO ROBERTO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Ela está, ela está indo em direção ao mar, mas eu tenho o vento pressionando, formando onda. Então aquilo eu tenho tipo de um turbilhão namento. Tem um carretel. Eu começo ver a formação do que é dos carneirinhos. Começa a ver aquelas ondas de maior, maior tamanho e que elas inclusive acabam sendo menos espaçadas e que vai me dar mais trabalho e vai ocasionar mais perigo e mais medo para quem tiver me acompanhando.

JOÃO ROBERTO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Então, qual que é o melhor horário? Tá no horário ou no estofo da maré o momento da parada dela, tanto na preamar ou no estofo da maré da baixa mar para a saída num momento intermediário? Vamos falar se eu tenho seis horas entre a pré e a baixa. Tá, eu vou ter o que? Três horas É o momento que ela está com maior força.

JOÃO ROBERTO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
É o momento em que eu estou com meu barco. Muitas vezes eu preciso exigir mais da parte mecânica e eu não tenho esse, esse recurso, tá? E aí também, às vezes não tenho tanta habilidade para poder abordar essas ondas que vão se formar.

JOÃO PAULO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Agora para o pessoal não terem realmente problema. Eu acho que a navegação é confortável. Vai ser exatamente nas marés de quadratura.

JOÃO ROBERTO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
A maré de quadratura geralmente eu sempre tive muita, muita navegação, muita navegação confortável nesses períodos de maré de quadratura, que é a maré que ela é estável e se independente está chovendo, se está com sol, tá, desde que eu não tenha vento ir para que eu interprete se vou ter vento ou não, ai eu teria que falar sobre um outro assunto que é sobre as cartas sinótica.

JOÃO ROBERTO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Sim, tá que daí são as pressões, pressão atmosférica, como também com o deslocamento das frentes sim, Então essas frentes elas deslocam o ar que esse ar ele vai provocar? O que o vento é, o vento é o que vai fazer com que tenhamos ondas. Agora, muitas vezes as pessoas falam com relação a maré, que a maré tá tá tá errada.

JOÃO ROBERTO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
A previsão tá errada porque eles acabam não interpretando essa questão climática porque você tem a maré. A maré vai existir constantemente. Mas eu tive aí um ciclone, eu tive um momento em que houve muito vento, então aquele volume de água ficou praticamente represado num determinado ponto, Porque isso daqui, as águas dos oceanos que ela fica subindo e descendo de acordo com o que abre a torneira ou não, e o volume é o mesmo.

JOÃO ROBERTO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Então o que acontece se houve um ciclone na região aqui? Nossa ta então e houve muito vento. Quer dizer que a água ficou por um período maior que deveria ficar num estofo de preamar e consequentemente em outro local? Haverá um período maior de um estofo de baixa mar. Então não pode ser interpretado que a tábua das marés está errada.

JOÃO ROBERTO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
O que está errado é não juntar as informações da tábua das marés com previsão meteorológica, previsão meteorológica séria, confiável, não é acreditar nessas porque o meu amigo falou, porque alguém falou assim?

JOÃO PAULO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Não? Então assim, muito legal. Eu acho que isso só com essa e essa breve conversa nossa, aqui já dá para a pessoa não ficar na mão na descida e na subida do barco dela já dá para não encalhar, né? E já dá para começar a ter uma base daquilo que seria uma navegação confortável ou não, para não ter aquele famoso perrengue chique não?

JOÃO PAULO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Muito legal, pai! Obrigado pessoal! Espero que vocês tenham gostado tudo isso aqui. Todas as informações, claro, terão pessoas que não, não utilizaram isso e tem pessoa que não usa nem a bússola, então quem vai ver a maré então? Mas no geral isso aqui tudo é feito para que a gente navegue mais, porque navegar é saudável.

JOÃO ROBERTO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Navegar é preciso.

JOÃO PAULO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Navegar vem a navegar. Pessoal, não se esqueçam novamente se inscrever no nosso canal e curtir esse conteúdo. Um grande abraço e até a próxima!

JOÃO ROBERTO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS
Até a próxima!

 

Comentários (0) |

Vídeos Relacionados

APRESENTAÇÃO DA SCHAEFER V44!

Sejam bem vindos a mais um lar de amigos. E hoje é um dia especial, né, pai? Que dia é hoje? Bom, de novo, né? Lançamento da V. 44 que é o barco especial. Um barco que veio para revolucionar o nosso mercado que é. Mas calma, calma, calma, não conta tudo. O pessoal é … Continued

MAR DE AMIGOS – ÂNODO DE SACRFÍCIO! PARA QUE SERVE? QUANDO TROCAR? – 14/03/2024

JOÃO PAULO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS Sejam bem vindos a mais um mar de amigos, mais uma vez aqui no estúdio da TV Boat. E hoje para falar de mais um assunto importante, afinal de contas, todos que já tiveram o primeiro barco já receberam uma ligação do seu mecânico falando Olha, o seu … Continued

MAR DE AMIGOS – O QUE OLHAR AO PEGAR UMA POITA? – 29/02/2024

JOÃO ROBERTO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS Bem amigos, hoje vamos pegar uma poita, mas vamos pegar uma poita? TOMAS SOFFIATI – DIRETOR DA MARINAS NACIONAIS Só se você mergulhar hein João JOÃO ROBERTO – CONSULTOR TÉCNICO DE VENDAS Mas tem que pegar poita, isso aí é uma boia ou o que? TOMAS SOFFIATI – … Continued